Convite para o jantar!

Talvez você teria o anseio de poder conversar à mesa com um grande personagem do passado, como Martin Luther, ou outro Martin, o Martin Luther King Jr., quem sabe Ghandi ou outro pessoa que lhe seja marcante, como Albert Einstein ou Galileu Galilei!

Quem sabe você é mais fã de esportes, e se tivesse acesso, buscaria bater um papo numa boa confeitaria parisiense com Neymar. Ou dialogar com Usain Bolt, agora que ele está próximo da aposentadoria e deve ter mais tempo disponível!

 

Estar numa mesma mesa, num conceito oriental, é muito mais do que ocupar o mesmo espaço, mas, é permitir um certo nível de proximidade, intimidade.

Com quem Cristo também esteve à mesa, permitindo proximidade?

Leia Mateus 5.27-32

 

“E, depois disto, saiu, e viu um publicano, chamado Levi (Mateus), assentado na recebedoria, e disse-lhe: Segue-me.

E ele, deixando tudo, levantou-se e o seguiu.

E fez-lhe Levi um grande banquete em sua casa; e havia ali uma multidão de publicanos e outros que estavam com eles à mesa.

E os escribas deles, e os fariseus, murmuravam contra os seus discípulos, dizendo: Por que comeis e bebeis com publicanos e pecadores?

E Jesus, respondendo, disse-lhes: Não necessitam de médico os que estão sãos, mas, sim, os que estão enfermos;

Eu não vim chamar os justos, mas, sim, os pecadores, ao arrependimento.”

Lucas 5:27-32

 

Os primeiros dois versos, 27 e 28, impressionam por quem Jesus escolheu para o seguir – o convite é feito a um cobrador de impostos, o tal do Mateus, também chamado de Levi. Cobradores de impostos, usualmente, faziam bom proveito de cobranças indevidas. O caso de Levi não deveria ser diferente! Mas, era com ele que Jesus queria conviver!

 

A partir do convite feito, Mateus segue a Cristo, e provavelmente por gratidão, decide dar um banquete em sua casa! Jesus foi convidado para um jantar com desconhecidos!

Veja esta campanha da empresa holandesa KLM, promovendo um jantar de Natal entre desconhecidos:

 

DIÁLOGO:

  • Você tem facilidade em conviver com estranhos? Iniciar uma conversa com desconhecidos?

Veja bem, facilidade em se relacionar com estranhos, não é um requisito para seguir a Cristo. O que o texto nos mostra, é que Jesus veio para todo o tipo de pessoas!

  • E se soubesse, que não são pessoas de boa reputação? Continuaríamos abertos ao diálogo?

 

O outro lado da história, é o que aprendemos com Mateus. Ele leva Jesus para sua mesa, e consequentemente aos seus conhecidos! Ali estão, conforme texto, um grupo maior de publicanos e pecadores. Esta dupla categoria, muitas vezes aparece nos textos bíblicos, como categoria desprezada por judeus seguidores da lei, pois, eram desregrados, nada apegados à lei do Senhor!

Por isso, há uma reação muito forte por parte dos religiosos – os escribas e fariseus.

Mas, Jesus responde com maestria:

 

“Não necessitam de médico os que estão sãos, mas, sim, os que estão enfermos;

Eu não vim chamar os justos, mas, sim, os pecadores, ao arrependimento.”

 

DIÁLOGO:

  • Quem são os que precisam de arrependimento, apenas Mateus e seus colegas cobradores de impostos?
  • Quem são seus contatos? A quem você tem a oportunidade de apresentar Jesus, quem sabe, usando a estratégia de Mateus, oferecendo um jantar?

 

Considero interessantíssimo este conceito, de abrir as portas de sua casa, para levar não cristãos, ou pessoas distantes da comunhão, ou ainda, afastadas, para um encontro com Jesus! Esta é uma das possibilidades que Pequenos Grupos, Grupos de Casais e outros também tem!

Que tal dialogar com seu grupo com o intuito de se abrir para novas pessoas poderem conhecer, por meio do seu grupo, o “médico que veio para os enfermos”?

 

ORE: para Deus abrir possibilidades de levar Jesus a seus contatos!

CONVITE: participe dos cultos no mês de agosto! Trabalharemos a questão do preconceito, de quem Jesus veio acolher e o que significa estar à mesa com Jesus e com todos os que foram convidados!

print

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *