À SOMBRA DA CRUZ! O que a paixão de Cristo tem haver com nosso dia a dia?

Entendemos Cruz, como ápice do caminhar de Cristo em obediência a Deus Pai!

Na simbologia desta reflexão, “sombra da cruz” seria tudo o que acontece a partir do sacrifício de Cristo Jesus na cruz!
Assista o vídeo e reflita:

DIANTE DA CRUZ, NOSSO AGIR PARA AGRADAR A DEUS PERDE O SENTIDO!

A humanidade não consegue satisfazer o que a santidade de Deus exige, nem por meio de respostas éticas, nem por meio da religiosidade!!

 

O que o homem religioso e/ou ético entende como lucro para apresentar diante de Deus (veja o próprio exemplo do apóstolo Paulo no texto bíblico abaixo), quando Jesus entra em cena, se torna em perda! Aqui está a centralidade da mensagem da Sexta-Feira da paixão: nossa real demanda do sacrifício de Cristo!

 

Leia Filipenses 3.4-8

“Se alguém pensa que tem razões para confiar na carne, eu ainda mais:

circuncidado no oitavo dia de vida, pertencente ao povo de Israel, à tribo de Benjamim, verdadeiro hebreu; quanto à lei, fariseu;

quanto ao zelo, perseguidor da igreja; quanto à justiça que há na lei, irrepreensível.

Mas o que para mim era lucro, passei a considerar perda, por causa de Cristo.

Mais do que isso, considero tudo como perda, comparado com a suprema grandeza do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor, por cuja causa perdi todas as coisas. Eu as considero como esterco para poder ganhar a Cristo”

 

Ou seja, tudo o que tem intenção de JUSTIÇA PRÓPRIA, qualquer produção humana sem Jesus, não tem valor perante Deus! Antes de viver a partir de Cristo, o próprio Paulo, autor da carta aos Filipenses, buscava esta auto justiça!

Mas, à sombra da cruz, “considero tudo como perda, comparado com a suprema grandeza do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor, por cuja causa perdi todas as coisas. Eu as considero como esterco para poder ganhar a Cristo”, cf. Fp 3.8. Portanto, a única maneira de agradar a Deus é conhecer aquele que o agradou 100% – Jesus Cristo!

 

DIÁLOGO: até que ponto nossa religiosidade corre o risco de ser uma “obra da lei”, uma tentativa de nos tornarmos agradáveis diante de Deus?

Você está ciente de que somente pela justiça da fé, cf. verso 9, somos aceitos por Deus?

 

À SOMBRA DA CRUZ, CONHECEMOS O MESSIAS!

Ler Filipenses 3.8-11:

“Mais do que isso, considero tudo como perda, comparado com a suprema grandeza do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor, por cuja causa perdi todas as coisas. Eu as considero como esterco para poder ganhar a Cristo e ser encontrado nele, não tendo a minha própria justiça que procede da lei, mas a que vem mediante a fé em Cristo, a justiça que procede de Deus e se baseia na fé.

Quero conhecer a Cristo, ao poder da sua ressurreição e à participação em seus sofrimentos, tornando-me como ele em sua morte para, de alguma forma, alcançar a ressurreição dentre os mortos.”

 

Nesse contexto, conhecer, é mais do que adquirir o saber, mas é deixar-se envolver, viver a partir de Cristo! Entenda o estar à sombra da cruz, como a morte e ressurreição de Cristo (ressurreição, pois a cruz está vazia) sendo a fonte do nosso viver!

 

Conforme os versos 10 e 11 esse conhecer é estar disposto a seguir a Cristo no caminho que ele passou. Portanto, é se relacionar tanto com seu poder da ressurreição, como também se relacionar com seu sofrimento e morte! Aqui define-se o discipulado: ele alcança a glória, demonstrada na vitória de Cristo sobre a morte, mas, antes passa pela cruz!

 

DIÁLOGO: Estamos dispostos a seguir a Cristo, também no caminho de cruz, ou apenas na sua glória?

 

A CRUZ DE CRISTO NO DIA A DIA!

O discipulado é um caminho no qual nos colocamos todos os dias. É um caminho de pequenas mortes e ressurreições pelo agir do Espírito Santo. Assim, somos conformados a Cristo no dia a dia. São pequenas mortes no dia a dia, abrindo mão da nossa cosmovisão, trocando nossa perspectiva da vida, pela de Cristo. O discipulado acontece sempre à sombra da Cruz de Cristo, ou seja, sempre a partir da sua entrega por nós, não de atitudes próprias que visam a auto justificação diante de Deus!

Nesta convivência com Cristo, ao seguí-lo, seu jeito de ser, seus costumes vão deixando marcas em nossas vidas!

 

DIÁLOGO: de que forma o “jeito de ser de Cristo” deixou marcas na minha vida? Mudou algo na minha família? Compartilhe!

 

Permaneça na sombra da obra de Cristo realizada na cruz! A partir dela, tudo que vivemos e fazemos, agrada a Deus, fora dela, ignoramos a Páscoa!

 

Momento de Oração: sugerimos um momento de oração entre os participantes do grupo, onde pode-se compartilhar os desafios do discipulado.

 

Observação: Esta reflexão tem como base a mensagem do professor Dr. Vitor Hugo Schell no culto da MEUC Joinville em 02/04/2017.

print

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *