O desafio da quietude diante do Senhor!

O professor Robert Kelly organizou seu tempo e também o ambiente para uma conversa via skype ao vivo com um jornalista da rede de televisão BBC.

A sua esposa estava preparada para gravar a conversa, mas, enquanto ele dava a entrevista e sua esposa gravava a entrevista…. a fala foi interrompida!

Veja o vídeo abaixo:

 

Nós até planejamos espaço e tempo para dialogarmos com Deus, mas, quando menos imaginamos, já fomos distraídos e nossa conversa foi mais uma vez interrompida!

 

Leia MATEUS 6.5-8 – segue abaixo na versão da NVI:

“E, quando vocês orarem, não sejam como os hipócritas. Eles gostam de ficar orando em pé nas sinagogas e nas esquinas, a fim de serem vistos pelos outros. Eu asseguro que eles já receberam sua plena recompensa. Mas, quando você orar, vá para seu quarto, feche a porta e ore a seu Pai, que está em secreto. Então seu Pai, que vê em secreto, o recompensará. E, quando orarem, não fiquem sempre repetindo a mesma coisa, como fazem os pagãos. Eles pensam que por muito falarem serão ouvidos. Não sejam iguais a eles, porque o seu Pai sabe do que vocês precisam, antes mesmo de o pedirem.”

 

 

  • Busca do Silêncio Interior!

 

Se Jesus os chama de hipócritas, pois oravam em lugares públicos com a finalidade de aparecerem, pressupõe que sua vida de oração era mais para impressionar do que para se relacionar com Deus!

O que será que Jesus falaria das nossas orações? Será que muitas vezes não estamos preocupados com aspectos externos, assim como os religiosos citados em Mateus 6?

Em vez de nos concentrarmos no diálogo com o Pai, nos preocupamos com o que outros consideram da nossa oração, seja no estilo, palavras que usamos, maneira como nos apresentamos. Em vez de nos preocuparmos com o que Deus pensa de nós, nos preocupamos com o que os outros pensam da nossa relação com Deus!

Todos estes fatores que podem ser resumidos em: “O que vão pensar de mim”? inquietavam os religiosos da época, não permitindo o silêncio interior necessário para a relação com Deus!

 

 

  • Busca do Silência Exterior!

 

No versículo 6 Jesus nos orienta a buscarmos nosso quarto, literalmente, tameion. O que vem a ser tameion? Era a “sala de armazenamento”, um cômodo interno sem janela. Era o lugar dos suprimentos, o mais protegido da casa, contra ladrões e animais selvagens. Logo, quem estava dentro não tinha contato com quem estava fora e vice-versa. Ou seja, este ambiente possibilitava silêncio diante de ruídos externos.

 

DIÁLOGO: Qual sua maior dificuldade em conseguir se aquietar para orar? São aspectos externos ou internos que mais lhe atrapalham?

Você poderia fazer algo para mudar esta situação?

 

 

  • Oração, invista nesta relação!

 

Ainda dois aspectos apresentados nos versos 7 e 8:

  1. Oração não é uma reza que vai funcionar, confira v.7! Ou seja, não há garantia de sermos atendidos simplesmente porque praticamos a oração da forma adequada. Na época praticavam-se algumas regras: 3 orações de manhã 10 vezes maiores que o “Pai Nosso”, além de repetir o “Shemá Israel”, confissão de fé, 2 vezes ao dia. Ou seja, repetir por repetir, cumprindo assim o ritual, não faz com que alcancemos o sucesso. Jesus é contra tal postura, pois, faz da oração algo mecânico, esquecendo do aspecto relacional!

 

  1. Deus sabe do que precisamos, confira v.8! E apesar disso, Jesus nos ensina a falarmos com seu Pai!

 

DIÁLOGO: Para que orar, uma vez que o Pai já sabe do que precisamos?

Compartilhe benefícios da oração na sua caminhada com Deus!

 

DESAFIO 1: Compartilhem a leitura de Mateus 6.9-13. Qual aspecto desta oração é de grande valor para sua vida?

 

DESAFIO 2: Busque um grupo de oração, ou tire tempo para oração no seu Pequeno Grupo. Assim como necessitamos do silêncio diante do Senhor, também carecemos da Comunhão de oração!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *