Mais que um lanchinho…

Ao longo da história do cristianismo, conceituamos nossa fé, que aponta para Cristo. Conceituar a Cristo, defini-lo a partir de alguns versículos bíblicos, é importante, mas não é tudo! Uma fé reduzida à cabeça, pode deixar coração e membros distantes de uma vida cristã!

 

Queremos viver com Cristo, queremos experimentar quem é Jesus na prática!

Mas, não podemos cair no outro extremo, de apenas experimentar Jesus, sem conhecer afirmações sobre ele, reduzindo-o à nossa própria experiência!

 

Olharemos o texto de João 6, em que as pessoas tiveram grandes experiências com Jesus, mas, em que Jesus não permite ser limitado apenas à estas experiências! Jesus é mais!

O que as pessoas diziam dele?

 

e grande multidão continuava a segui-lo, porque vira os sinais miraculosos que ele tinha realizado nos doentes.” João 6.2

Uma multidão de fato, pois é descrita posteriormente como 5.000 homens adultos, mais mulheres e crianças! Um povo que olha para Jesus como aquele que fez curas, inclusive na região deles, na Galiléia! Mas, esta foi a motivação de o seguirem! Pode ser nossa motivação inicial também, mas se ficar nisso…

… quando Jesus não curar, não iremos segui-lo mais?

 

Em seguida chega o momento da refeição! E Jesus, passa a ter “outra função”. Ele mesmo traz o assunto à mesa: “Onde compraremos pães para lhes dar de comer?”

A multiplicação acontece, leia João 6.5-13.

Posteriormente, ele é tido como profeta, verso 14, pois além de curar, e falar bem, alimenta gratuitamente todos os que o seguiam!

 

Mas, no dia seguinte, a mesma multidão segue a Jesus, e sua motivação é revelada pelo próprio Mestre: “A verdade é que vocês estão me procurando, não porque viram os sinais miraculosos, mas porque comeram os pães e ficaram satisfeitos.” João 6.26

 

DIÁLOGO:

O que nos motiva a seguimos a Cristo?

O que já experimentamos com ele, o que nos faz buscá-lo novamente?

 

Jesus, o Cristo: ele é muito mais do que maravilhosas experiências que temos com ele!

Por isso, é importante ouvirmos sua autodefinição, que em João 6 é expressa no versículo 35: Jesus declarou: “Eu sou o pão da vida. Aquele que vem a mim nunca terá fome; aquele que crê em mim nunca terá sede.”

 

Essa autodefinição de Cristo, vale muito mais do que aquilo que nós experimentamos, porque não depende das nossas percepções subjetivas! Se Ele diz que é o “Pão da Vida”, então é fato de que ele é sustento para a vida toda, não apenas para uma experiência!

 

No entanto, esses conceitos tão reais acerca de Cristo, devem ser experimentados por todos nós! Então eles se tornam pão vivo, que é vivenciado no dia a dia!

 

No evangelho de João, lemos outras afirmações de Cristo que iniciam com “Eu sou”. Esta autoapresentação, relaciona Cristo com seu próprio Pai, pois quando Deus se apresenta a Moisés, é afirmando ser o “Eu sou”!

 

Lemos em João:

João 4.26: O Messias;

João 8.12: Luz do Mundo;

João 14.6: O caminho;

João 10.11: Bom pastor;

João 15.1: A videira verdadeira;

 

DIÁLOGO:

Qual “Eu sou” de Cristo, já fortaleceu sua comunhão com Deus?

Qual verdade sobre Cristo, relacionada nos versículos acima, quero levar de forma mais consciente à minha vida?

print

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *