PG – Quais suas expectativas?

solucao

A história é muito conhecida, até já virou hit gospel!

Mas, geralmente, olhamos para a história do Zaqueu tendo ele como “personagem principal”.

 

Quero convidar seu grupo, a olhar para esta história, focando em Jesus!

 

Como Jesus lida com Zaqueu e com as expectativas da multidão?

E por fim, o que isso causa na vida do Zaqueu!

 

Incentivamos a leitura na íntegra do texto bíblico, Lucas 19.1-10:

 

  1. COMO JESUS LIDA COM ZAQUEU?

Um cobrador de impostos comumente era rico, o que é ressaltado no verso 2. Parte da riqueza, obviamente provinha a partir da corrupção que lhe era comum! Jesus, sabe que está diante de um “Impossível” humano. Para entender este “impossível”, observe a história de Zaqueu a partir do seu contexto anterior. Pois em Lucas 18.18, Jesus tem um encontro com um jovem rico, que não abriu mão de sua riqueza, como aspecto central de sua história.

Veja a conclusão do encontro anterior de Jesus com um rico, Lc 18.24-27: os impossíveis humanos são possíveis para Deus!

Jesus não encara a Zaqueu como uma “causa impossível”! Por isso, vai até ele, e o chama pelo nome, e se convida para ir à casa de Zaqueu!

 

DIÁLOGO: Quais são nossos “casos impossíveis” de se achegarem a Jesus?

Temos expectativas de que Cristo ainda pode entrar neste “caso”, ou estamos por demais frustrados?

 

  1. COMO JESUS LIDA COM AS EXPECTATIVAS DA MULTIDÃO?

 

A partir de conceitos humanos, a maioria dos que aguardavam a passagem de Jesus em Jericó eram mais dignos da visita de Cristo! Nossos conceitos estão mais na esfera da moral! Moralmente falando, Zaqueu não era digno da visita de Cristo! Os outros com certeza se consideravam mais dignos, senão não leríamos no verso 7: “Todos os que viram isto murmuravam, dizendo que ele se hospedara com homem pecador.”

A indignação pelo fato de Cristo entrar na casa de um “pecador” é grande! Ou seja, o que definia ser pecador estava na esfera ética e moral apenas.

 

DIÁLOGO: Qual nosso conceito de pecado?

Romanos 3.23 auxilia a compreender que a definição de pecado não pode estar apenas na esfera moral, mas que faz parte da essência humana, ou seja, já nascemos assim! Tem haver com nossa ruptura com Deus, bem como com nossa imperfeição! Falhas éticas e morais são consequência desta ruptura com nosso criador! Portanto, considerar outros menos dignos de Cristo, por serem pecadores, mostra apenas que temos uma compreensão rasa do conceito de pecado!

 

Mesmo com essa expectativa da multidão de que Cristo os enxergasse, e a consequente frustração deles em relação a visita de Cristo a Zaqueu, não mudou a postura de Cristo diante do “impossível” que estaria prestes a acontecer: um corrupto, mudar de vida!

Jesus não se deixa levar pelas expectativas alheias, mas está atento para o que Deus pode fazer na vida de alguém!

 

  1. O QUE ESSE ENCONTRO PROPORCIONA EM ZAQUEU?

 

Não sabemos exatamente tudo o que Jesus falou a Zaqueu, isso se dá entre os versos 7 e 8. Mas, o fato de ter estado na presença de Cristo, trouxe transformação genuína!

No verso 8 percebemos que Zaqueu “resolveu” dar metade dos seus bens! Foi uma resolução pessoal, uma postura interna, que se externou com a divisão dos bens!

Religião, lições de moral não provocam tal mudança, apenas a presença de Cristo o faz!

 

DIÁLOGO: Há expectativas de que pessoas à nossa volta mudem, sem terem um encontro com Cristo? Isso é possível?

O que seu encontro pessoal com Cristo já transformou na sua vida?

 

ORAÇÃO: compartilhem e levem diante do Senhor suas expectativas, frustrações e causas perdidas – seja pessoas as quais você considera um impossível, ou suas expectativas que já foram frustradas!

Jesus ainda pode nos surpreender!

print

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *